Lídia Carmeli

Todo dia Música e Poesia

Textos

VIDA A DOIS

Mulher de meia idade,belos traços e rasgos de depressão pela alma, procura um terapeuta corporal a fim de resgatar a sabedoria do corpo.
-Aonde a alegria de viver, aonde?
Me conta que todas as sessões envolvem exercícios respiratórios, longos, curtos, acelerados. Movimentos corporais, pélvicos, insanos...o que esse terapeuta quer de mim? Quer que eu tenha um orgasmo na sua frente? O corpo não mente - respondo. Você quer ter um orgasmo?
-Não! grita. Você,também...
-Disse que está procurando sua alegria de viver...
-Sim, mas não é isso. Tenho marido. Posso ter quantos orgasmos quiser, na hora que quiser, sem espectadores.
-É mesmo? Se é assim você, além de marido, deve ter um amante, ou mais de um - brinquei.
-Tá...ela ri triste. Na verdade sinto falta de me apaixonar pela vida, por...
-Um novo projeto, um novo sonho, uma nova realização? -É...algo forte que me faça sentir viva, que me desperte! Casamento pode sufocar o amor, pela pressão do trabalho, dos filhos, e a rotina...afasta.
Mas amo meu marido, ouviu? A M O!
Esse diálogo aconteceu entre nós em frente ao espelho, enquanto Ana ajeitava o vestido, num gesto de aprovação e, diante dos olhos brilhantes que via refletidos, decidiu: - Quero me apaixonar de novo!
Só preciso de um pouco de emoção para reinventar a relação que está ficando morna pro meu gosto, meus apetites... concluiu, piscando pra si mesma.
Ato contínuo, ligou para o escritório do marido e pediu que a encontrasse às 20hs, no lounge de um hotel charmoso, que conheciam. Disse que estaria no bar e que quando ele a avistasse, deveria fingir que nunca a havia visto antes. Propôs que simulasse ser um simples desconhecido e a abordasse naquele lugar para convencê-la a fazer um programa com ele.
Enquanto dava o recado sentia uma onda de excitação a subir-lhe por toda a espinha...
Graças ao deus cupido, Paulo ligou assustado pra mim, querendo saber o que estaria acontecendo com minha amiga, no caso, sua esposa.
Aconselhei que reservasse uma suíte no tal hotel, jogasse todo o seu charme para conquistá-la e aproveitasse a noite! Reavive seu amor!
Assim ele fez. Quando entrou no bar avistou-a de imediato: vestido sensual, perfume entre os seios, copo na mão, olhar misterioso...
Lembrou-se do dia em que se conheceram, num lugar parecido e animou-se com a fantasia.
Aproximou-se sedutor, elogiou seus olhos, seus cabelos, olhou para o corpo da moça, como se fosse a primeira vez e ofereceu um drink, perguntando se aceitaria a sua companhia, naquela noite.
Ela respondeu que não estava sozinha, seu acompanhante tinha ido até a ala dos fumantes e deveria retornar.
-Eu não fumo, alegou o novo pretendente. Todas as células do meu corpo e o meu coração que bate acelerado, me fazem permanecer aqui, diante dessa linda mulher, na esperança de ser o escolhido.
-Eu vi quando você cruzou o hall de entrada, disse a tal mulher desconhecida, e sabe o que disse pra mim mesma?
- “ Estou vendo se aproximar de mim, o amor da minha vida...”

 

 

 

 

Lídia Carmeli
Enviado por Lídia Carmeli em 09/05/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras